Essa campanha foi arquivada

Alckmin, desista de fechar as escolas, melhore a qualidade do ensino.

No ar há mais de 1 ano em Educação
Square 12027802 1493955380899424 4913169900001308851 n
Cozinheiro da mobilização
Alckmin, desista de fechar as escolas, melhore a qualidade do ensino.

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo propôs recentemente uma reestruturação do sistema de ensino que inclui o fechamento de 94 escolas (impactando a vida de 311 mil alunos) e a reorganização das escolas por ciclos. O argumento da Secretaria é de que o número de alunos vem caindo e de que existem escolas com salas ociosas.

No entanto, 15% das escolas da rede estadual estão com salas super lotadas. São 367 escolas com superlotação só na capital, sendo que mais de um terço das unidades fechadas está na cidade. A contradição é enorme: se existem escolas com salas vazias, por que não resolver primeiro o problema da superlotação antes de querer fechar colégios?

Mais estranho e contraditório ainda é que a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) - órgão que administra recursos públicos da Educação - concluiu 22 obras de expansão da rede estadual de ensino, de janeiro a setembro de 2015, sendo 16 obras de novas escolas. Se o número de alunos caiu, por que construir novas escolas e expandir outras?

Ninguém é contra iniciativas que visam melhorar o desempenho dos alunos e a qualidade do ensino mas, para isso, não é necessário fechar escolas, ainda mais num cenário onde existe a superlotação de salas de aula.

Mande agora seu e-mail para o Secretário de Educação pedindo que o governo desista de fechar as 94 escolas: Envie seu email agora.

São muitos os estudos e pesquisas que demonstram que sala de aula superlotada atrapalha o desempenho dos alunos e consequentemente notas escolares e índices no ensino são menores. Segundo a FGV, escolas cheias têm qualidade 22% menor no ensino médio e uma redução média de 30% no tamanho da turma aumenta a proficiência dos alunos em 44%. A Secretaria de Educação de São Paulo recomenda o número máximo de 40 alunos por sala de aula. Essa seria uma ótima oportunidade para se diminuir essa quantidade, se de fato existem prédios ociosos como alega o governo.

Em reação à reestruturação proposta, os próprios estudantes ocupam mais de 50 escolas em sinal de resistência e querem convencer o governo Alckmin a desistir de fechar suas escolas e melhorar a qualidade no ensino, dando uma verdadeira aula de cidadania!

#NãoFechemAMinhaEscola #NenhumaEscolaAMenos

Fontes:

Estadão | Rede estadual de SP tem 15% de escolas com sala lotada

Estadão | Escolas cheias têm qualidade 22% menor no ensino médio

FDE | FDE concluiu 22 obras de expansão no valor de R$ 101,91 milhões de janeiro a setembro de 2015

Deixe seu comentário