14 de Outubro de 2015
Entregamos o Prêmio Torneira Seca. Penetras na festa!
Foto 11

Em Brasília, sob vaias, secretário recebe prêmio de gestão hídrica no lugar de Alckmin. Atividades incluíram lançamento de Relatório de Violação de Direitos Humanos na Gestão Hídrica do Estado de São Paulo e entrega do Prêmio Torneira Seca a Alckmin.

Com milhares de pessoas sem água, sistemas de abastecimento secando, dois aumentos consecutivos na conta de água e descontos progressivos nas faturas de grandes empresas, homenagear o governador responsável por essa gestão hídrica seria um absurdo – se não fosse verdade.

Nos últimos dias milhares de pessoas assinaram a petição online que pedia Deputados, desistam de entregar o prêmio ao Alckmin pela gestão da água e que continua aberta para que você manda um email afirmando que não concorda com o reconhecimento da gestão incompetente e seca da crise hídrica através do link: http://paneladepressao.nossascidades.org/campaigns/774

Somente na última semana, o aplicativo Tá Falatando Água (http://saladecrise.com.br/tafaltandoagua/), desenvolvido pela Aliança pela Água em setembro, obteve três mil notificações de falta de água na cidade de São Paulo, principalmente na zona leste, sul e norte, o que também demonstra a desigualdade do acesso à água na megacidade. Além disso, a negação da existência de uma crise hídrica pela Sabesp e pelo governo do estado de São Paulo apenas piorou a situação dos reservatórios que abastecem a capital – o Sistema Cantareira, por exemplo, entrou em colapso e só fornece água com ajuda de bombas de captação do volume morto. Neste contexto, aplaudir a gestão de Geraldo Alckmin significa desconsiderar a população, que chega a passar mais de três dias sem água em algumas regiões.

Apesar de comemorada por Geraldo Alckmin em entrevista coletiva, a entrega do Prêmio Lúcio Costa de Mobilidade, Saneamento e Habitação para o governador, hoje, às 20h, na Câmara dos Deputados (Brasília), estimulou um calendário de protestos. E não foram poucos os que se indignaram com a escolha do homenageado.

O dia começou com o lançamento do Relatório de Violação de Direitos Humanos na Gestão Hídrica do Estado de São Paulo (http://www.greenpeace.org/brasil/Global/brasil/documentos/2015/greenpeace_relatorio_hidrica_A4-ALTA.pdf), às 10h, no escritório do IDEC – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. O evento contou com a participação, em vídeo conferência, do relator da ONU para os direitos humanos à água e ao saneamento, Leo Heller, e apresentou evidências de violação aos direitos humanos à água e ao saneamento reconhecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Foram apontadas violações como a não implantação de medidas de contingência previstas em lei; a interrupção arbitrária, não comunicada, ocultada e repentina do abastecimento; o aumento indevido de tarifa; riscos à saúde; contratos de demanda firme; e falta de informação. Se essas violações de direitos humanos do planejamento à distribuição dos recursos hídricos do estado de São Paulo forem confirmadas, a expectativa é de que o governo estadual, enfim, adote medidas eficientes e transparentes para lidar com a crise e priorizar o abastecimento da população.

Entre as denúncias registradas no documento, estão os descontos progressivos para grandes empresas por meio dos contratos de demanda firme. O Relatório de Violação de Direitos humanos na Gestão Hídrica do Estado de São Paulo também denuncia esses contratos, por se tratar de uma forma de incentivar grandes consumidores a comprar água da companhia, em vez de buscar fontes alternativas, estimulando grandes empresas a consumirem mais água, e desconsiderando o fato de que a água é um recurso escasso e um bem público­ – se quiser ajudar a acabar com eles, mande uma carta para Arsesp, Sabesp e Alckmin clicando aqui.

No cenário apresentado no relatório, laurear o governador por seu trabalho na crise hídrica é uma negação à falta de água e às condições de violação de direitos humanos sofridas pela população de São Paulo. Quem merece um prêmio são as milhares de pessoas que ficam sem água diariamente no estado; a condecoração que o governador deveria receber é um Troféu Torneira Seca ­­– e foi justamente o que decidimos fazer.

Às 20 horas de hoje, em Brasília, Greenpeace, Juntos e Minha Sampa foram até o evento na Câmara dos Deputados, em Brasília, e subiram ao palco para entregar o prêmio que o governador merece: criado pelo artista Mundado, o Troféu Torneira Seca retrata o chão rachado das represas paulistas e uma torneira sem água, saindo de um cacto. Além disso, foram abertos banners no palco com a frase: “Procura-se ganhador do Prêmio Torneira Seca”, pois o governador não compareceu ao evento – quem recebeu o prêmio no lugar dele foi o secretário de recursos hídricos, Benedito Braga. Apesar de pacífico, o protesto foi rapidamente interrompido de forma agressiva pelos seguranças do evento e com ajuda do presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano, deputado Julio Lopes (PP-RJ).

Fontes:

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Noticias/ONGs-e-movimentos-criticam-gestao-hidrica-em-acoes-coletivas/

http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,sob-vaias--secretario-recebe-premio-no-lugar-de-alckmin,1779092